FRASES FEITAS

Voltar

O repórter, famoso por suas diatribes e ainda mais por sua incoerência, num dia atacou os padres, no outro, os pastores, dias depois, os boiolas, mas no dia seguinte defendeu os homossexuais distinguindo filosoficamente entre homossexualidade e boiolice, na quarta seguinte atacou os políticos corruptos e na quinta elogiou um político da região, seu amigo, sabidamente corrupto. Semana depois, atacou os ditadores comunistas, no outro dia, os ditadores direitistas e quatro dias depois as democracias que tudo permitem. No dia seguinte ao ataque às democracias permissivas, defendeu a nudez nas praias e piscinas particulares, dizendo que cada um deve ser quem deseja ser e fazer o que deseja fazer, porque cada qual é quem é; ninguém tem anda que se meter na vida de ninguém. Mas tornou a atacar os padres e pastores. Uma semana depois pedia intervenção das autoridades porque um parente seu estava ameaçado por traficantes. Suas frases feitas e gritadas na hora eram todas contraditórias. Dependiam do seu humor do momento. Mas tinha enorme audiência por conta de suas frases de efeito.

O mesmo fez o pregador que todos os dias falava por meia hora no programa de sua igreja. Ora Jesus perdoava, ora não; ora Deus castigava, ora não; ora Deus queria e ora não queria.

Estavam mais ou menos certos, mas não explicavam o contexto. Suas frases não vinham seguidas de explanação. Acontece com eles e conosco. Muitas vezes falamos sem pensar. E a palavra sem contexto não passa de um texto que, muitas vezes, é nada mais do que um pretexto. Na verdade a pessoa queria outra coisa.

Pe. Zezinho scj

© Padre Zezinho scj

Wallmedia