CONVERSÃO, BATISMO E VOCAÇÃO

Voltar

Talvez tenha escapado a você o fato de que João Batista, Jesus e Pedro tenham começado suas pregações com esta proposta. João dizia: O reino está chegando, convertam-se e façam penitência (Mt 3,2). Seu batismo era de penitência. Jesus se deixa batizar por João e retoma a pregação do profeta, assim que João vai preso. Diz o quê? -Convertam-se. O reino está entre vocês. Façam penitência! (Mt 4,17;)E manda os discípulos batizarem o povo (Jo 4,1-2 ). Ele batizava mais gente que João e os discípulos, mais do que ele. Vem Pedro (At 2, 38; 3,19) e retoma a pregação: Convertam-se e façam penitência. E batizou 3.000 já na primeira pregação e 5. 000 na segunda.

Eles ligavam os três valores: conversão, vida de penitência e renascimento para Deus. Propunham pureza de sentimentos, vida pura e voltada para Deus e para o próximo. João, que foi chamado de Batista, batizador, foi também chamado de aplainador, porque encurtaria caminhos e os endireitaria, deixava claro que quem não produzisse frutos de conversão, se daria mal. Chega a dizer que quem viria depois dele viria com machado e instrumentos de limpeza do terreno ( Mt 3,10). O Cristo viria queimar nossas excrescências e limpar a nossa sujeira e o nosso esterco. Teria pá e ancinho na mão. Viria com fogo. Seu batismo seria de limpeza total. A linguagem dos três é radical.

A Igreja Católica no Brasil optou por lembrar aos católicos brasileiros que precisamos retomar nossa vocação de discípulos e missionários. Anos atrás lembrou na Campanha da Fraternidade a necessidade de agirmos como discípulos e batizados. Há muita gente por aí -e talvez nós façamos parte deles- que não aceita mudar, não quer se converter ou acha que não precisa. Sente-se tão santa que prefere mais pregar que ouvir a Palavra. A grande maioria dos crentes só ouve o que lhe interessa e só os pregadores do seu grupo. Eles não querem a verdade. Querem pregadores simpáticos interessantes e encantadores. Desligam os dos outros, mesmo quando são da sua Igreja… Por que ouvir o outro se já acharam a fórmula? Não têm nada que aprender no outro grupo, nem nada que mudar! Que os outros mudem e venham com eles! Batismo e conversão é para os outros. Eles já se converteram!

A Igreja oficial não se impressiona com essa conversa. Convoca todos os fiéis a pregarem e ouvirem sobre seu batismo. Não somos chamados a falar do batismo dos outros e, sim, do nosso. Temos presente o tempo todo diante de nós, a responsabilidade do batismo? Ou ele anda valendo só durante a missa ou nas horas de show e de festa? Num mundo que exige mudanças e gente comprometida, que frutos de justiça e de paz temos demonstrado? Como é que os pobres se sentem perto de nós?… Tiago diz que não basta apenas abençoá-los, rezar por eles… Adorar a Deus é maravilhoso, mas sem ajudar os outros, não dá certo! Funcionarão aquelas gotas de águas eternas que um dia alguém derramou três vezes sobre a nossa testa? Ou foi bonito, mas não pegou?…

Pe. Zezinho scj

© Padre Zezinho scj

Wallmedia